sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Voltando ao blog. Meus últimos meses. Minhas apresentações. Palavras reconfortantes. Novo curso. De cabelos novos!!!

Oi gente! Andei bem sumidinha do blog né, mais é a falta de rede em casa. O ano ja começou, e ja faz tempo que eu não falo exclusivamente de mim. Desde o meu último post, as coisas andaram super diferentes por aqui. Para não cansá-los, farei um breve resumo dos últimos acontecimentos. Em Agosto eu fui vários dias para a casa da Alice, e desde então, comecei a ir em um núcleo da igreja dela, que agora também é a minha igreja, mais depois eu conto isso melhor. A Sineá é a líder do núcleo, e juntamente com o Valcenir, seu marido, e com seus filhos Débora e André, abrem as portas de sua casa, todas as terças-feiras, para umas 17 pessoas. Nós estudamos a palavra pregada, também temos algumas atividades lúdicas, que são super divertidas, nos fazem ficarmos mais perto de Deus, e conhecermos mais uns os outros. Todos que fazem parte deste projeto, são pessoas excelentes, super prestativos e solidários. Em Setembro eu fiz 20 anos, e esta data me encheu de felicidade, pois se não fosse por Deus, eu não estaria aqui. No dia 15 de Setembro, teve um almoço na minha casa. Minha mãe fez meu prato preferido, lasanha. Tinha também musse de maracujá, que eu comi muito. Em Setembro também teve o casamento da Dorinha e do Fernando. Foi no dia 13, um dia antes do meu aniversário, e pelo que eu fiquei sabendo, foi lindo! Eles estão super bem juntos, e apesar dos problemas que tentam os atingirem, o amor permanece sólido, sendo a força que os mantém de pé, dia após dia. Em Outubro, dos dias 7 ao dia 11, aconteceu a Semana da Pessoa com Deficiência, aqui na Biblioteca Pública. Nos 2 primeiros dias do evento, eu toquei violino. No 2º dia, eu fui entrevistada, e a mesma, saiu no Diário Oficial do Espírito Santo. Eis a reportagem a seguir: quinta-feira, 10 de outubro de 2013 Projeto Sinto e Produzo em Braille reúne clássicos da literatura A atividade integra a programação da Semana Cultural e Esportiva do Portador de Deficiência Física, instituída pela Lei Estadual nº 8.311, de junho de 2006. [] A estudante Fernanda Oliveira, de 20 anos, está se preparando para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que acontece no final deste mês, e também para o vestibular da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). Ela não enxerga, contudo isso nunca a impediu de fazer o que quisesse. Depois de cantar em coral, resolveu aprender a tocar violino e vem se dedicando ao instrumento há três meses. Frequentadora assídua da Biblioteca Pública do Espírito Santo, aonde vai quase diariamente, ela participou do projeto Sinto e Produzo em Braille, realizado na tarde da última terça-feira (08), no Setor Braille. Para Fernanda, trata-se de uma ação muito importante, uma vez que promove não apenas a inclusão das pessoas com deficiência, despertando nelas sentimentos como pertencimento e autoestima, mas também conscientiza a população em geral de que uma pessoa com deficiência não é incapaz. “Ser deficiente não é ser dependente. É superar limites. Não é por termos nossas limitações que não podemos fazer o que qualquer outra pessoa faz. E esta Semana mostra o quanto somos capazes. E é também uma forma de chamar a atenção da sociedade contra o preconceito que sofremos”, afirma a jovem estudante. O encontro teve início por volta das 14 horas da terça-feira (08), e Fernanda tocou um pouco de seu violino para o grupo. A atividade consistiu na leitura de poesia, a partir de obras do acervo em Braille da Biblioteca Pública do Espírito Santo. Os participantes selecionaram os textos, leram, debateram e transcreveram alguns dos poemas em folhas que, depois, formaram um varal de poesias. Obras de autores clássicos como Luís de Camões, Bocage, Castro Alves e Manuel Bandeira foram escolhidas por eles. “Um dos objetivos dessa atividade é socializar e, ao mesmo tempo, resgatar alguns dos usuários da biblioteca, que há tempos não frequentavam o nosso espaço. Pessoas que nunca vieram à biblioteca também estão participando do projeto. É uma forma de ampliarmos o público, pois essas pessoas acabam convidando outras depois”, diz Rafaela Nichi, responsável pelo Setor Infantil e pela série de atividades da Semana Cultural e Esportiva do Portador de Deficiência Física. INTERAÇÃO - Estudante de Pedagogia da Faculdade Estácio de Sá, Gislene Andrade da Silva, de 21 anos, descobriu a biblioteca em 2009 e tornou-se frequentadora do espaço, utilizando-o sobretudo para os estudos. Para ela, a programação da Semana Cultural é muito importante. â€œÉ uma oportunidade que temos de interagir e socializar. Uma atividade como esta promove a inclusão em vários sentidos e nos permite ter mais condições de participar de processos seletivos – na escola, no mercado de trabalho, em qualquer lugar”, ressalta a estudante, que gosta de poesia. Alex Douglas Vicente, 38 anos, é cozinheiro aposentado e está entre os antigos usuários da Biblioteca Pública que retornaram ao espaço devido à Semana Cultural. “Eu já vim à biblioteca há alguns anos, mas não fui frequentador assíduo. Está sendo uma experiência agradável, um momento de descontração e lazer, com muita cultura”. Toda a programação da Biblioteca Pública do Espírito Santo é realizada em parceria com a Prefeitura Municipal de Vitória (PMV), por meio do Centro de Referência para a Pessoa com Deficiência (CRPD), que fica no bairro Segurança do Lar, na região de Goiabeiras, em Vitória. PROGRAMAÇÃO - As atividades seguem até sexta-feira (11). Com o projeto Nossa História em Quadrinhos, nesta quinta (10), os participantes poderão contar suas histórias por meio da linguagem das histórias em quadrinhos, com exemplos de superação, os desejos de mudança ou mesmo de bullying sofrido por elas. Na sexta (11), será exibido o longa-metragem “Colegas”. Escrito e dirigido por Marcelo Galvão, a produção é uma divertida comédia que aborda de forma inocente e poética as coisas simples da vida, a partir do olhar de três jovens com síndrome de Down apaixonados por cinema. Na reportagem tem uma foto minha, tocando violino. Estávamos neste dia eu, Alice, Carlos, Valkilene, Alex, Gislene entre outros. Eu sempre fui apaixonada por poesias né, então isso pra mim foi um prato cheio. Eu não pude ir no 3º dia do evento, devido a problemas pessoais. Na quinta, dia 10, eu fui, e a Rafaela me ajudou a fazer uma história em quadrinhos, pois esta era a proposta do dia. No último dia, primeiro, nós tivemos a apresentação de um trio chamado "Novo Tom", que cantaram algumas músicas, dentre as quais, "Boa Sorte", Vanessa Damata, "Eu Te Devoro", Djavan, "I'M Yours", Jason Mras, e fecharam com a música "Trem das Onze" de Adonirã Barbosa. Foi show esse trio, eu amei a voz da vocalista. Simplesmente linda e delicada. Depois nós assistimos ao filme "Colegas", um grande sucesso. Eu amei a história, que fala de 3 amigos com síndrome de Down, e que possuem cada um um sonho. Não vou contar aqui o fim do filme, mais garanto que vale apena assistí-lo. Depois eu ainda conversei com a Alice que apareceu na metade da apresentação do trio. No dia 13 do mesmo mês, eu deixei uma carta no chat do facebook pra minha irmãzinha, porquê nós não nos vimos neste dia. Em outubro eu fiz o ENEM mais uma vez, e foi bem complicado. Durante os 2 dias de provas, eu fiquei com dor de estômago por causa do nervosismo intenso que eu estava sentindo. Eu tive duas ledoras, uma se chama Jéssica, e a outra eu não me lembro do nome. O fiscal foi o Fernando, e nós 4 conversamos muito. Foi bom para aliviar a tenção. No 1º dia como sempre, ocorreram as provas de humanas, física, química e biologia. Até que elas estavam relativamente fáceis. Eu nem precisei usar o tempo adicional. No 2º dia, as provas foram de Redação, cujo tema era sobre a Lei Seca, depois era a língua estrangeira, no meu caso Espanhol, depois português e por fim matemática. A prova de matemática estava mais fácil do que eu pensava. Eu acabei usando o tempo adicional por causa da redação. No dia 29, a minha irmã fez sua defesa do TCC e o grupo dela ganhou 9, eheheheheheheheheheheheh!!! Em Novembro, vários acontecimentos se sucederam, e me deixaram totalmente perdida. Não poderei revelar aqui a natureza de tais acontecimentos, mais afirmo a todos (as) que eu quase fui ao chão. Um desespero tamanho tomou conta de mim. Eu não sabia o que fazer, o que pensar, não sabia mais em quem confiar. Eu acabei ficando na casa da Alice por vários dias. Fiquei la, primeiro por causa do núcleo, e segundo porquê eu precisava sair da minha casa, pelo menos por alguns dias. No dia 9, a Dorinha me deixou o seguinte texto no facebook: olha amor, apesar da distânsia e de tantas outras coisas, eu quero que você saiba que deus está no controle de tudo. por mais que as coisas paressam ser difíceis, na hora e no momento exato elas serão resolvidas. você pode contar comigo pra tudo aquilo que precisar. você é a minha mana de coração, é uma menina que eu amo muito desde 2011. então não fica assim não. e lembra sempre que tem os que criticam, mas tem os que te aplaudem. e eu faço parte deles. vibro mesmo em nome do teu sucesso. um beijão. não chora não. e mesmo sem poder ver vc, lembra que eu sempre vou estar do seu lado. Este texto foi por causa de uma conversa que tivemos no dia anterior, e ela me ajudou e apoiou como sempre. Essa minha irmã é fantástica!! No dia 18, a Dorinha postou 2 textos pra mim no facebook. Faço questão de deixá-los abaixo: eu não saberia mais recomessar, se você não estivesse junto comigo. eu não saberia mais confiar, se você deixasse de existir. eu não saberia mais dialogar, se você não tivesse me deixado falar em tantos momentos difíceis que eu já vivi. sabe, ultimamente eu ando tendo pouco tempo pra falar sobre a nossa amizade. mas queria que você soubesse, que eu não me esqueço dos nossos dias, e acima de tudo isso, eu sempre me lembro de você. que mesmo estando a kilômetros de distânsia de mim fisicamente, mora bem aqui dentro do meu coração. e isso vai além de qualquer coisa. a conversa que tivemos ontem, foi apenas um feedback para que você possa seguir em frente. independente da sua decisão, saiba que vai poder contar comigo sempre. beijos. eu te amo. de vez enquando, lágrimas dançam nos seus olhos. de vez enquando, as luzes do trem da vida se apagam. de vez enquando, as estrelas do céu, deixam de brilhar. + saiba que mesmo quando as coisas parecem ser impossíveis, elas acontecem. porquê deus está no controle de tudo, e vai realizar todos os seus sonhos. entregue todos eles em suas mãos, e confie. 2014 será o seu ano, e você vai triunfar. vai cursar a faculdade que espera, e vai conquistar a sua independência pessoal. confie nisso. Eu respondi, e deixarei o mesmo abaixo: É graças a você que hoje eu posso sorrir. É graças ao teu amor que eu consegui me libertar de tantos medos do passado. É graças as tuas palavras meigas e fortificantes, que eu consigo acreditar na vida e em seus desígnios. Nenhuma palavra que eu usar aqui vai ser capaz de descrever o quanto você significa pra mim. Nem as estrelas que brilham la fora são capazes de te dizer o quanto a sua amizade é importante na minha vida. Minha vida não está fácil, meus caminhos me parecem escuros, mais em meio a tanta escuridão, uma luz surgiu em minha vida, você, que consegue me acalmar com suas palavras. Apesar da nossa diferença de idade, o que nos une é mais do que uma simples amizade virtual, é mais do que a genética que aponta que não temos nenhuma característica física parecida. O que nos une se chama "amor", que atravessa as fronteiras estaduais, que nos deixa próximas, mesmo estando há quilômetros de distância uma da outra. Muito obrigada pela nossa conversa de ontem, que deixou meu coração bem mais tranquilo, que me fez perceber mais uma vez que enquanto você existir eu jamais vou ficar sozinha. Assim como eu sei que posso contar com você, conte comigo para todos os momentos de tua vida. Eu sempre estarei com você. Nossa amizade o Senhor escreveu, nós somos prova do cuidado de Deus. Eu te amo! Um beijão. A conversa que nós duas tivemos, me aliviou um monte. Ela sim sabe o que me dizer. Eu também tive uma longa conversa com a Sineá, e ela também soube me compreender, embora tivesse algumas opiniões diversas das minhas. O núcleo tem me ajudado e fortalecido muito, eu amo estar la, com todas aquelas pessoas maravilhosas. No fim de Novembro, um acontecimento triste abalou a vida do Carlos, e nós 3 fomos para Itaguaçu. La eu conheci seus primos Léo, Pryscilla, Aline, Júnior, dentre outros. Eles são super legais, e nós nos divertimos e rimos muito também. Apesar da tristeza pelo acontecido, foi divertido nos reunirmos la. Como eu disse em linhas acima, agora eu sou da Igreja do Carlos, ou seja, da Igreja Batista. Na igreja em que eu estava antes, as pessoas tornaram-se frias, distantes, e eu ja não mais sinto no meu coração o desejo de estar ali. Em Dezembro, choveu torrencialmente no Espírito Santo, e várias famílias ficaram desabrigadas, e várias pessoas perderam seus bens por conta das chuvas. Foi muito triste assistir a tudo isso nos jornais, e não poder fazer nada para confortá-los, para livrá-los de tamanho sofrimento. Durante este período eu estava na casa da Alice. No dia 16 do mesmo mês, nós do núcleo fizemos uma confraternização. Eu ganhei uma lata que é toda cor-de-rosa, e dentro haviam vários cupcakes. Amei!!! Também comi muito, principalmente a lasanha, a torta de carne moída, o escondidinho, a torta de chocolate, o Pettit Gateaut, e a torta de morango. Hum, estava tudo divino! No dia 20 eu voltei pra casa, pois eu recebi um convite para tocar no Centro de Referência. E la fui eu. Na van que foi me buscar, estava a Fabiana, que tem Down. Nós conversamos muito, e ela tocou teclado. Ao chegarmos ao local, a Mírian me colocou sentada ao lado do Tiago. Ele ficou dv há pouco tempo, e ainda não se adaptou muito bem. Nós conversamos muito, e eu lhe disse que o ajudaria em tudo o que me fosse possível. Eu sei como é estar na mesma situação que ele. A gente se sente perdido. Apesar de no meu caso não ter sido assim, porquê eu sou cega desde sempre, eu conheço muitos cegos que ficaram cegos depois de ja terem enxergado. Depois eu conheci a Vanessa, que estava à minha esquerda. Ela tem psoríase, que é uma doença da pele. Nós conversamos e rimos muito juntas. Ela é 6 anos mais velha do que eu. Depois começaram as apresentações. A primeira foi da primeira turma de percussão, não me lembro dos nomes dos integrantes da mesma, além do da Tâmara, que eu ja conheço desde 2005, mais não vou muito com a cara dela. Eles tocaram 3 músicas, mais eu só lembro do nome de uma, que é "Amor Igual", do Cidade Negra. Depois se apresentou a segunda turma, e eles também tocaram 3 músicas, e uma delas foi a música "Nenhum Dia", do Djavan. Depois o Juliano, um dos funcionários de la cantou uma música, que se chama "A Paz", cantada pelo grupo Roupa Nova. A letra é simplesmente linda! Ele canta muito bem, eu adorei! Depois quem foi se apresentar fui eu, e uma coisa eu te falo, estava super nervosa, uma pilha mesmo. E pra piorar tudo, o violino parece que resolveu dar pau justo na hora que eu precisava dele. As cordas não conseguiam produzir nenhum som audível, e eu fiquei muito estressada, quase chorei de tão nervosa que eu fiquei. Mais depois de inúmeras tentativas, finalmente eu consegui tocar, e ainda toquei duas vezes, pois da primeira não ficou boa. Eu sei que fui perfeccionista, mais eu queria que tudo saísse perfeito, se é que da pra isso acontecer. Depois eu tive uma surpresa. A Fabiana disse que queria me fazer uma surpresa, mais eu nem imaginava o que poderia ser. Ela falou em auto e bom som para todos os presentes, que me daria um teclado, pois ela se emocionou quando eu disse no carro, que meu sonho era aprender teclado, e que eu tinha feito uma aula, mais havia desistido por não ter o instrumento. Nossa, quando ela acabou de falar aquilo, eu fiquei sem ação, fiquei chocada mesmo, de boca aberta. Eu não consegui fazer mais nada, e olha que o pessoal pediu para que eu tocasse mais uma vez. Eu disse que tocaria para fechar o evento, mais que naquela hora eu precisava ficar sentada um pouco, para me recuperar das fortes emoções vividas. Eu fui me sentar, e eu comi um pedaço de bolo de chocolate, que estava mais do que perfeito, eu amei, lógico. Depois a Márcia, (acho que é esse o nome dela) me deu um presente que ela tinha feito, para todos que tocamos la. O presente é uma toalinha branca, que tem o desenho de uma flor. Adorei o presente! Depois outras apresentações se seguiram, e a Mírian foi falar, e contou uma história sobre o abraço, e pediu para que todos nos abraçássemos, e eu abracei a alguns, pois abraçar a todos seria meio que impossível, pois eu não sei andar ali direito não. Eu abracei a Luciana, a Fabiana, abracei a Thaís, que é cadeirante, depois eu abracei o Thiago, e pra ser sincera me deu um pouco de vergonha de abraçar ele, sei-la porquê. Ele é muito alto, eu fiquei anã perto dele. Depois os funcionários de la foram falar, e eu fiquei do lado da Mírian, pois eu logo tocaria de novo. Eu toquei realmente, e dessa vez ficou bem melhor, eu gostei. Não ficou 100% mais ficou ok. Assim que nós deixamos o local, fomos conversando na van, e o Tiago e a mãe dele também estavam por ali. Quando eles me deixaram perto de casa, eu fui com a minha irmã comprar o meu presente de Natal, dado pela minha mãe. Eu ganhei um vestido lindo, bege, todo rendado, me apaixonei por ele. E ganhei um tamanco pra combinar. No Natal só estávamos em casa eu, minha mãe, meus irmãos, meu tio e uma amiga da família. Mas antes da meia-noite eu ja estava dormindo. Para falar a verdade, eu não estava com clima pra festa. No ano-novo foi a mesma coisa. Antes da meia-noite chegar, eu ja estava dormindo. Esse mês aconteceram algumas coisas super legais. Bom, eu me inscrevi no SiSu e no Prouni, mais não deu em nada. Dessa vez eu fiquei com 539 pontos no ENEM, o que eu achei excelente. Fiz muito mais pontos do que nos anos anteriores. É claro que eu fiquei chateada por não ter conseguido passar, mais que eu posso fazer? O jeito agora é esperar. _Algumas novidades._ Há umas duas semanas atrás, eu, Carlos e Alice fomos até a Forts Engenharia, pois eles junto com o Senai vão dar um curso de auxiliar administrativo pra deficiente. O curso começará em março, e serão 15 alunos por turma. Pelo que eles falaram, vai ser muito interessante, vamos ver na prática. Eles vão dar meio salário mínimo e mais vale transporte como auxílio. Não vejo a hora de fazer ele sabe. Esse ano eu quero dar uma guinada de 360 graus na minha vida. Na segunda-feira eu vou mudar de visual. Eu disse aqui no ano passado, que meus cabelos estavam caindo muito. Daí eles ficaram horríveis, um lado tem mais cabelo que o outro. Daí eu resolvi voltar às minhas origens. Vou deixar meu cabelo cacheado em vez de liso. Vai ser melhor, e assim eles se fortalecerão. Na segunda-feira dia 27, completou um ano do incêndio da Boate Kiss em Santa Maria no Rio Grande do Sul. Eu escrevi um texto sobre o tema, mais ele está no meu diário, por isto só o deixarei aqui no meu próximo post. Bom gente, qualquer coisa eu prometo que volto aqui pra contar. Beijos para todos e fiquem com Deus.

2 comentários:

dorinnha radashy disse...

Oi fer!!!! me senti super honrada por você ter colocado os meus textos aí. e adorei saber mais e mais detalhes na sua vida. e você arrasou com esse violino. eu te falei que você ia fazer muito mais do que vc poderia prever ou imaginar! não vou ficar falando muito sobre seu post não. tenho outra coisa pra te dizer: tô morrendo de saudades. volta logo. vc demora muito, e eu não gosto.

Fernanda!!!! disse...

Oi irmãzinha!!!
Como eu precisava de vc agora, como eu precisava te ouvir.
Quem se sente honrada por vc ter me escrito sou eu, e eu tinha mesmo que colocar tudo aí, pra todo mundo saber que eu tenho uma irmã tão maravilhosa como vc.
Vc vai saber de um monte de coisas que estão acontecendo aqui, aí vai entender várias coisas.
Eu também estou morrendo de saudades, e estou fazendo de tudo pra voltar o mais rápido possível.
Não se esqueça: Eu te amo.