quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Audiodescrição, a matéria prometida.

Oie gente.
Deixarei abaixo a matéria prometida.
Também deixarei algumas definições de várias pessoas sobre o que é a audiodescrição.
Espero que gostem.

Audiodescrição é a uma faixa narrativa adicional para os cegos e
deficientes visuais consumidores de meios de comunicação visual, onde se
incluem a televisão e o cinema , a dança , a ópera e as artes visuais .
Consiste num narrador que fala durante a apresentação, descrevendo o que
está a acontecer no ecrã durante as pausas naturais do audio e por vezes
durante diálogos, quando considerado necessário.
Para as artes performativas ( teatro , dança , ópera ) e para os meios
de comunicação ( televisão , cinema e DVD ), a descrição é uma forma de
tradução audiovisual, usando as pausas naturais no diálogo ou entre
elementos sonoros cruciais para inserir a narrativa, que traduz a imagem
visual de uma forma que a torna acessível a milhões de indivíduos que de
outro modo não teriam um acesso pleno à televisão e ao cinema.
Em museus ou em exposições de artes visuais, visitas com audio-descrição
(ou em circuitos concebidos universalmente que incluem descrição ou a
extensão dos atuais programas gravados em áudio ou em vídeo) são
utilizados para proporcionar acesso aos visitantes que são cegos ou
possuem uma visão reduzida. Professores ou guias podem ser instruídos no
sentido de utilizar a audio-descrição nas suas apresentações. A
audio-descrição de eventos desportivos está a tornar-se cada vez mais
comum, especialmente em estádios de futebol.
Investigadores estão a trabalhar no sentido de demonstrar como a
descrição, através do uso de variadas escolhas de palavras, sinónimos,
metáforas e comparações, beneficia não só as crianças que são invisuais
e/ou com dificuldade de aprendizagem, mas poderá também impulsionar a
literacia para todas as crianças.
A partir de 1º de julho de 2011 foi instituída no Brasil a
obrigatoriedade de pelo menos duas horas semanais de conteúdo com
autodescrição para as emissoras com sinal aberto e transmissão digital ,
na condição de faixa de áudio adicional.
Definições
" A audiodescrição é um recurso de acessibilidade que amplia o
entendimento das pessoas com deficiência visual em eventos culturais,
gravados ou ao vivo, como: peças de teatro, programas de TV, exposições,
mostras, musicais, óperas, desfiles e espetáculos de dança; eventos
turísticos, esportivos, pedagógicos e científicos tais como aulas,
seminários, congressos, palestras, feiras e outros, por meio de
informação sonora. "
(Lívia Motta)
" A audiodescrição é uma atividade de mediação linguística, uma
modalidade de tradução intersemiótica, que transforma o visual em
verbal, abrindo possibilidades maiores de acesso à cultura e à
informação, contribuindo para a inclusão cultural, social e escolar.
Além das pessoas com deficiência visual, a audiodescrição amplia também
o entendimento de  pessoas com deficiência intelectual, idosos e
disléxicos. "
(Lívia Motta)
" A audiodescrição é um recurso de tecnologia assistiva que permite a
inclusão de pessoas com deficiência visual junto ao público de produtos
audiovisuais. O recurso consiste na tradução de imagens em palavras. É,
portanto, também definido como um modo de tradução audiovisual
intersemiótico, onde o signo visual é transposto para o signo verbal.
Essa transposição caracteriza-se pela descrição objetiva de imagens que,
paralelamente e em conjunto com as falas originais, permite a
compreensão integral da narrativa audiovisual. Como o próprio nome diz,
um conteúdo audiovisual é formado pelo som e pela imagem, que se
completam. A audiodescrição vem então preencher uma lacuna para o
público deficiente visual. "
(Eliana Franco – UFBA)
" Considero a audiodescrição como uma forma de leitura reveladora que
evoca em seu público uma multiplicidade de sensações e sentimentos capaz
de gerar uma revolução sensitiva muito necessária para a formação do
gosto cinematográfico. Certamente não é somente o audiodescritor e seu
modo de traduzir as imagens que influenciarão a PcDV, mas a própria
linguagem da AD que, por si só, revoluciona os sentidos. "
(Bell Machado- Ponto de Cultura)
" O recurso consiste na descrição clara e objetiva de todas as
informações que compreendemos visualmente e que não estão contidas nos
diálogos, como, por exemplo, expressões faciais e corporais que
comuniquem algo, informações sobre o ambiente, figurinos, efeitos
especiais, mudanças de tempo e espaço, além da leitura de créditos,
títulos e qualquer informação escrita na tela. A audiodescrição permite
que o usuário receba a informação contida na imagem ao mesmo tempo em
que esta aparece, possibilitando que a pessoa desfrute integralmente da
obra, seguindo a trama e captando a subjetividade da narrativa, da mesma
forma que alguém que enxerga.                 As descrições acontecem
nos espaços entre os diálogos e nas pausas entre as informações sonoras
do filme ou espetáculo, nunca se sobrepondo ao conteúdo sonoro
relevante, de forma que a informação audiodescrita se harmoniza com os
sons do filme. "
(Graciela Pozzobon e Lara Pozzobon – www.audiodescricao.com.br)
" A audiodescrição não tem o direito de explicar o que não está claro no
filme. O usuário de AD deve entender o filme e ao mesmo tempo ficar com
as mesmas dúvidas que os videntes ficaram, considerando a dubiedade e a
multiplicidade de sentidos presentes nas obras de arte. "
(Lara Pozzobon – Festival Assim Vivemos)
" A Audiodescrição é um modo de tradução audiovisual intersemiótica (do
visual para o verbal), que consiste na técnica de narração realizada por
um audiodescritor, que descreve com o máximo de detalhes e sem
julgamentos, tudo que acontece nas cenas de uma obra audiovisual, de
acordo com os espaços oferecidos entre os diálogos dos personagens,
respeitando o roteiro original, as intenções de pausas, ruídos sonoros e
trilhas. Um recurso de acesso e autonomia para pessoas com deficiência
visual e outros públicos. "
(Maurício Santana – Iguale)
" A audiodescrição é uma tecnologia assistiva que busca suprir a lacuna
deixada pela comunicação visual, para aqueles que dela não conseguem
tirar proveito. No atual estado da arte dos meios de comunicação, não há
dúvidas de que a ausência da audiodescrição cria uma situação de
desconforto. Inúmeros são os momentos em que sentimos falta de um
detalhamento do que está acontecendo. Seja na televisão, teatro, cinema
ou mesmo nas descrições de gráficos e figuras de um livro, ou imagens de
uma página da internet, ela é fundamental para a participação efetiva
das pessoas com deficiência na interação com a sociedade. "
(Laércio Santana – Prodam)
" A AD é uma modalidade de tradução audiovisual definida como a técnica
utilizada para tornar o teatro, o cinema e a TV acessíveis para pessoas
com deficiência visual. Trata-se de uma narração adicional que descreve
a ação, a linguagem corporal, as expressões faciais, os cenários e os
figurinos. A tradução é colocada entre os diálogos e não interfere nos
efeitos musicais e sonoros. "
(Vera Santiago - UFCE)
" De modo a responder ao direito de acesso à comunicação e à informação,
portanto, surge uma técnica,  e um profissional que a emprega: a
áudio-descrição e o áudio-descritor, bem como são desenvolvidas
tecnologias para a aplicação dessa técnica.                 Todavia, a
áudio-descrição não é uma descrição qualquer, despretensiosa, sem
regras, aleatória. Trata-se de uma descrição regrada, adequada a
construir entendimento, onde antes não existia, ou era impreciso; uma
descrição plena de sentidos e que mantém os atributos de ambos os
elementos, do áudio e da descrição, com qualidade e independência. É
assim que a áudio-descrição deve ser: a ponte entre a imagem não vista e
a imagem construída na mente de quem ouve a descrição. Logo, a união dos
sentidos se dá por uma ponte em cujas extremidades estão a imagem e a
descrição. Essa ponte, o áudio-descritor, vem conduzir a  imagem que sem
a descrição será inacessível às pessoas com deficiência visual, mas que,
com a áudio-descrição, tomará sentido. "
(Francisco Lima - UFPE)
" É importante ter consciência de que a audiodescrição não é um serviço
meramente técnico. Assim como a arte, ela exige um envolvimento intenso
com o projeto. É preciso sensibilidade para encontrar o vocabulário
adequado e o tom de voz ideal para que a audiodescrição seja totalmente
integrada ao filme. Um filme do Rambo não pede o mesmo vocabulário que
um filme de Woody Allen. Um romance não pede o mesmo tom de um filme de
terror ou de uma comédia. "
(Letícia Schwartz – Mil Palavras)
" A audiodescrição é um exercício de respeito, de ética e só é mesmo de
qualidade quando compartilhada. É um treino pessoal, que exige estudo e
dedicação no que diz respeito às inferências e interpretações. É um
movimento intenso de busca, de alternativas “em palavras” que garantam o
entendimento sem super ou subestimar a capacidade de entendimento e
história de vida do outro. Manter-se dentro do que o autor propõe,
dentro de sua linguagem e dos fatos é um grande desafio, complexo e
fascinante. "
(Rosângela Barqueiro - Laramara)
" A audiodescrição veio para proporcionar um verdadeiro conforto, para
mim e para quem estiver me acompanhando. Eu ouço, eu vejo, eu sinto as
mesmas emoções que os outros e no mesmo tempo dos outros. E, ao final do
evento, posso discutir e comentar com as mesmas informações que os
outros tiveram. "
(Antonio Carlos Barqueiro - Laramara)

3 comentários:

dorinnha radashy disse...

mamãe fazia isso comigo, vc lembra fer? principalmente la nos consertos, teatros, cinema, vendo o chaves.... e ainda bém que estamos evoluindo.

Fernanda!!!! disse...

Verdade maninha.
A tia fazia isso com vc sim.
Me lembro bem disso.
Ainda bem que estamos evoluindo, ja era hora disso.

Talita Fernanda disse...

Muito boa essas definições! Parabéns pelo conteúdo da postagem, realmente muito bom.